Nasceu em 1997, em Guimarães, Portugal.

 

Conclui a  Licenciatura em Artes Plásticas - Pintura, Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto (FBAUP), no ano curricular 2018/2019.

 

 

A razão ou sujeito que desperta a minha curiosidade é sobretudo a desconstrução do processo de compreensão. Este processo da procura do fundo das questões, devido à sua provável impossibilidade, torna-se com frequência obsessivo e consequentemente [demasiado] prolongado no tempo.

Torna-se então incontornável, que o trabalho que desenvolvo seja uma materialização de uma perspetiva pessoal, culminando na criação de uma cosmologia que passa por catalogar pessoas, momentos, memórias, com fundamento nas minhas afeções. Nesta cosmologia, a minha compreensão não se constitui através de imagens, nem tão pouco através de palavras, mas através do meu espetro de reações emocionais.

Embora não existam quaisquer pretensões de teor sociológico ou científico, contata-se a impossibilidade de que este processo não se cruze com esses campos, quer seja pela inerente redundância que a questão provoca, quer pela constituição biológica. Ainda assim, não trata nada disso antes de tratar o mundo, que embora carregue consigo conceitos de universalidade, serve aqui o propósito de descrever o conjunto de objetos questionadores que incentivam este projeto.

Ao nível formal, a execução desta cosmologia rege-se na manipulação versátil de diversos materiais e técnicas para tirar proveito do elevado grau de acidentalização, traduzindo redundantemente através da matéria a mesma questão que a incita, o processo de compreensão. O seu caráter é então algo metamorfo, vai sofrendo mutações de acordo com as questões que suscitem maior interesse, as quais apenas posteriormente se coadunam com a sua descrição formal.

 

 

CV

 

© Bárbara Correia